Atendimento via whatsapp (11) 97533.9322

Categorias de produto

O Movimento hippie e a liberdade de expressão na Moda dos anos 60

A década de 60 pode ser entendida por uma época de quebra de padrões e liberdade de escolha da mulher.

A geração pós-guerra, os conhecidos “baby boomers”, utilizavam a moda para demonstrar o seu estado de espírito.

A ideia era se desprender dos padrões comportamentais e de estilo das épocas anteriores, tudo que lembrava o autoritarismo dos anos de guerra foi deixado para trás.

Rock’n’roll e os passos ousados do cantor americano Elvis Presley marcaram a década. 

Quando imaginamos os anos 1960, certamente pensamos em couro, jeans, topetes e lambretas.

Atores  de Hollywood como James Dean e Marlon Brando eram referências de estilo. 

É impossível não lembrar também da influência dos Beatles para a moda.

As roupas elegantes como calças de boca fina e jaquetas de gola, além do corte de cabelo, eram amplamente copiados pelos jovens.

O período foi marcado também por ter sido a primeira vez na história da moda que os jovens não se vestiam como seus pais.

As roupas das mulheres nos anos 60

O primeiro a se destacar nesse vestuário feminino dessa época é a minissaia.

A peça era associada à juventude e à revolução sexual. 

A invenção da minissaia é creditada aos nomes dos estilistas Mary Quant e André Courrèges.

Quando questionada, Mary dizia que a peça era uma invenção das ruas.

Tanto o guarda-roupa masculino quanto as personalidades famosas,  referências para o vestuário feminino.

Nomes como Jean Seberg, Audrey Hepburn, Natalie Wood se destacaram na época. 

O filme “Bonequinha de luxo” lançou moda e tendências. 

Além da minissaia, a calça cigarrete também despertava o interesse das mulheres. 

O ano 1965 foi considerado revolucionário na história da moda, graças à coleção do francês André Courrèges.

 A coleção apresentava minissais, botas brancas e vestidos com corte reto. 

As calças estilo Saint-Tropez que deixam o umbigo de fora também começaram a aparecer nas ruas.

A década de 60 é lembrada também pelas roupas unissex, as mulheres usavam calças jeans e camisas sem gola.

Um bom exemplo é o smoking feminino, que citamos na matéria anterior, criado pelo estilista Yves Saint Laurent, em 1966.  

 O príncipe das estampas

O estilista Emílio Pucci também é outro importante nome da história da moda nos anos 60, que foi apelidado por Príncipe das Estampas.

Suas peças coloridas de inspiração psicodélica marcaram a época.

Seu nome também é lembrado por peças conhecidas como “cápsulas” .

Os conjuntos em nylon elástico e de seda – antecessoras do famoso collant e roupas de ginástica em lycra popularizados na década de 80.

As roupas também foram influenciadas pelo movimento hippie.

Cabelos longos, batas indianas, saias longas e calças estilo boca de sino faziam parte do look dos jovens.

O movimento hippie tinha como principal bandeira se opor à Guerra do Vietnã.

O festival de música Woodstock, ocorrido em 1969, teve importância inigualável para o movimento hippie, contribuindo para a sua popularização. Cantores como Jimi Hendrix, Janis Joplin e grupos como Jefferson Airplane participaram do festival.

Os jovens simpatizantes do movimento hippie preferiam fibras naturais, fazendo menção à ideia “de volta à natureza”.

A história da moda é fascinante e nós da Bella Falcão amamos moda e estilo, é por esse motivo que a gente vem contando um pouco de tudo que aconteceu no passado da moda e suas influências.

Na Bella Falcão você encontra as bolsas mais modernas e estilosas!

Venha escolher uma bolsa moderna, diferente e que combine com o seu estilo!

NOS ACOMPANHE NAS REDES SOCIAS

Nos acompanhe no Facebook e no Instagran. Será um prazer tê-la como seguidora e acompanhando as novidades! Ficamos felizes que chegou até aqui e leu este arquivo. 

Até a próxima matéria!

Fernanda Falcão

Fonte: www.etiquetaunica.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.